Coronavírus e Meditação: Pode ser uma oportunidade para começar!


Em meio desta loucura que estamos vivendo por conta do corona-vírus, observei diversas reações e atitudes: até poucos dias atrás, havia muita gente que ignorava totalmente a situação e fingia que nada estava acontecendo, que era tudo um exagero. Tem outras em pânico e que já dizem que é o fim do mundo e também há várias teorias de conspiração circulando em nossas mídias sociais.


São tempos de incerteza e incerteza gera medo nas pessoas. O medo é uma antecipação de algo negativo que pode vir a acontecer e nasce de uma necessidade de autopreservação. Ou seja, o medo é uma resposta da mente para nos proteger de uma possível dor. Um dos maiores medos que existe é justamente o medo do desconhecido. O fato é que o medo gera uma energia negativa em nós e nos distrai do que temos que fazer no momento, algumas vezes nos deixa totalmente paralisados.


Eu me pergunto: qual o propósito disso tudo que está acontecendo? O que podemos tirar como aprendizado? Como podemos manter nossa sanidade mental?

Temos que agir com inteligência e responsabilidade neste momento; pensando no que é melhor para o coletivo e não apenas para nós mesmos. O quanto das nossas ações pode influenciar outras pessoas?


O mais recomendado até o momento foi o isolamento social, se recolher.

Acho que é uma excelente oportunidade para que os seres humanos pensem neste recolhimento não apenas do ponto de vista “se enfurnar dentro de casa”; mas também como se recolher para dentro de si mesmo, aprender a meditar de alguma forma, a estar bem consigo mesmo, apesar do que está acontecendo lá fora.


Não digo que é fácil meditar. Eu comecei a minha jornada há 3 anos atrás quando mudei para a Holanda e me sentia sozinha, vulnerável, meio perdida. A meditação me ajudou a me conhecer melhor, a me encontrar comigo mesma, sem máscaras, com as minhas qualidades e defeitos, me ajudou a ficar bem comigo mesma apesar da minha vulnerabilidade. Quem não tem defeitos? Quem é perfeito o tempo todo? Quem não pode errar?


Foi e ainda é uma excelente ferramenta para resgatar o que tenho de melhor, a minha real essência e entender que pensamentos negativos vem e vão o tempo todo, mas podemos apenas observá-los e não nos identificarmos com eles. Muitas vezes nós achamos que somos os nosso pensamentos, mas na meditação você se dá conta de que você é uma fonte infinita de amor e sabedoria e que sim, por ser humano, vivencia períodos que não são tão agradáveis ou gostosos, que sim tem pensamentos que não são “nobres, que muitas vezes esses pensamentos podem ser destrutivos e cheios de julgamentos e que muitas vezes duvidamos de seu próprio potencial. Apesar disso tudo, nós somos muito mais do que esses pensamentos e temos tanto para oferecer ao mundo.


Começar pode ser difícil, pode ser tedioso. Eu comecei com 10 min por dia e achava até que era um tempo desperdiçado no começo. Muitas vezes, após 3 minutinhos eu olhava o relógio e dizia:” OK, já deu por hoje!”.

Porém, com o passar do tempo, passei a me conectar comigo mesma, e hoje pratico 30 min por dia. Difícil explicar em palavras o que acredito que deva ser experimentado e vivenciado. (Aliás aguardem em breve estarei dando aulas para quem queira praticar).


Para quem se interessar tem vários aplicativos gratuitos onde você pode experimentar algumas meditações guiadas. Recomendo no começo as curtinhas. Um passo por vez!


E como fazer da meditação um hábito? (Vou escrever mais sobre isso mais para frente).


Em primeiro lugar eu te convido a se perguntar: “Como eu gostaria de ser lá na frente? Quais características e habilidades gostaria de exibir e sentir dentro de você?” Se você se visualiza mais auto-consciente, mais equilibrado, mais calmo e lidando melhor com stress, então meditação pode ser uma ferramenta bacana para você! Imagine você sendo esta pessoa e os benefícios que isso traria na sua vida.

Em segundo lugar, assuma um compromisso pequeno, tipo 2 min por dia logo após uma atividade diária que seja mais conveniente para você, tipo logo após acordar, ou depois de escovar os dentes para dormir... Associe a meditação com outra atividade que você faz automaticamente todo dia.


“Você não pode acalmar a tempestade externa. O que você pode fazer é se acalmar. A tempestade irá passar”.


Este vírus pode nos ensinar a ser pessoas melhores, mais respeitosas e gentis com os próximos, menos egoístas, ele nos convida a mudar de perspectiva de um pensamento mais individualista (o Meu sucesso, o Meu negócio, o que é melhor para mim, dane-se os demais..) para um pensamento mais coletivo (nós todos estamos passando pela mesma experiência, o que é melhor para todos? O que é melhor para o planeta? Como posso ajudar?).


Neste momento de nada irá adiantar ficar pensando e se preocupando o quanto a economia será afetada, será que eu terei emprego, será que pegarei o vírus, será que algum conhecido e querido irá morrer. Será...??

Tudo isso gerará mais medo, mais ruminação e te distrairá do que você pode fazer neste momento. Porém, se estes pensamentos passarem pela sua cabeça, o que é normal e entendível, respire fundo, aceite-os, mas não se identifique com eles. (leia mais sobre aceitação aqui).

Continue fazendo o que se é esperado de você: Seja responsável!

(Leia mais sobre escolhas conscientes aqui!)


Ergamos a cabeça e sigamos em frente!

Muito amor e sabedoria, Carla.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo